terça-feira, setembro 28, 2010

Parabéns.

Um dia, antes de ser gente, perguntei-te para onde iam as pessoas quando morriam. Tu, desenhaste-me o rosto com a ponta dos teus dedos e disseste:

- Conto-te à noite.

Tu não me desiludias, contigo aprendi que o prometido pode um dia ser devido. Assim à noitinha em vez de bebermos o leite com mel na minha cama, fomos bebê-lo para a varanda.

- Quando morrem as pessoas transformam-se em pó.
- Pó?!!
- Sim, mas não é um pó qualquer, é pó mágico feito de estrelas e que fica lá em cima no céu a brilhar.

Hoje no dia dos teus anos, onde quer que estejas, qualquer que seja o pó em que a morte te tenha transformado, estás comigo. Para sempre. Parabéns.

2 comentários:

Carlos Ramos disse...

Mas esse pó, é sempre pouco, aliás não chega a nada....nada....nada.

Dr. Diario disse...

elas vao pra memoria daqueles que conseguiram marcar as vidas...o retso fica no esuqecimento...parabens pelo texto.adorei