domingo, fevereiro 18, 2007

fogo

quem brinca com o fogo, queima-se. foi assim que nos conhecemos. tu eras fogo. e eu estava disposta a queimar-me. nessa fogueira imensa. tivesse ela a dimensão que tivesse. durasse o tempo que durasse a extinguir-se. iria perserguir-te até ao fim. até te ter. decidi nesse mesmo dia.


com o passar do tempo, dei-me conta que não brincava com o fogo. pisava-o de pés descalços. com a humildade de quem sabe que para ter, é preciso lutar. com a inocência de quem inicia um caminho pela primeira vez. com a ingenuidade de quem ainda olha o mundo à volta com olhos grandes de espanto.




amo-te: piso o fogo de pés descalços.

15 comentários:

Sam disse...

A tentação de bricar com o fogo é irresistivél...também já me queimei e andei em cima dele de pés descalços. Na altura em que ainda valia a pena...
Quando arriscamos dar o passo em frente e assumimos as consequências tudo vale a pena*

perola&granito disse...

:)

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Eu não sou de ninguém!... Quem me quiser
Há-de ser luz do Sol em tardes quentes:
Nos olhos de água clara há-de trazer
As fúlgidas pupilas dos videntes!
“ Flor bela Espanca”

Esta é a forma que eu encontro para comentar
A mais pura a que eu vos quero entregar
A minha amizade...
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

risquinhos disse...

e as vezes nem se a dor a latejar nos pés descalços :)

risquinhos disse...

*sente

Conceição Bernardino disse...

Olá,
“ Somos a ponte para a eternidade,
Formando um arco sobre o mar,
Procurando aventuras para nosso regozijo,
Vivendo mistérios, optando por calamidades,
Triunfos, desafios, apostas impossíveis,
Pondo-nos à prova uma e outra vez,
Aprendendo amar.”
Excerto de “Richard Bach”

É com esta força que renasço todos os dias, para continuar a minha caminhada...
Espero que gostem deste pequeno presente.
Beijinhos, que a escrita nos una!
Conceição Bernardino

http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Espero que me desculpe forma como faço os meus comentários, mas é pura e verdadeira...
Para mim não chega, dizer está bonito ou lindo – por isso gosto de deixar pensamentos frases de outros autores como presente da minha gratidão e do meu encanto do que leio, do que observo nas imagens e na escrita.
É a minha maneira de ser esta...
A critica faço-as, da forma como somos tratados pelo Estado que ignora os problemas da nossa sociedade e como pouco ligam aos grandes talentos que encontro nos blogs.
Peço desculpa e se alguém não gostar da forma como faço os meus comentários agradecia que me dissessem pois tentarei melhorar.
Sou apenas uma amadora de escrita que escreve pela beleza de sentir na escrita as palavras que me vão na alma e penso que é essa a beleza que encontro naquilo que leio cada um escreve com a sua beleza.
Não quero com isto desrespeitar ninguém até porque as palavras lindas, bonito têm um grande significado no meu vocabulário.
Boa semana
Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Luci disse...

gostei muito do teu texto.
tomei a liberdade de colocá-lo no meu blog, com o link do seu, ok?

:)

Bia Ferreira disse...

Já comentei esse texto lá no blog da Luci... sempre brinco com fogo.. muito bons os textos daqui..
(Portugal?!)

marta disse...

continuo a acreditar que vale a pena. pisar o fogo. mesmo de pes descalços. mesmo de olhos abertos de espanto. pq é ai que vamos buscando o sentido que nos falta. Obrigada pela tua visita aos meus ecos, pelo teu comentário e pelos teus textos, onde tantas vezes me encontro e me perco.

Luci disse...

obrigada vc por suas palavras...

:)

Sebastiao Moura disse...

No fim, queimei-me!

MariadaLua disse...

Muito, mas muito obrigado a todos pelos elogios e sobretudo pelo incentivo que por vezes tende a esmorecer.

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Povo

Ò povo que trais sem saber
O corpo que cansada da luta não
Pode ver

Ò néscio que não tiveste
Quem a ti te ensinasse
A andar.

Ò triste que caminhas com os
Pés dos outros,
Sem saber no que estás a pisar!

Poema da autoria de LILIANA BARRETO do LIVRO POISEIS II

Desejo-te uma bela semana, na companhia deste belo poema que encantou os sentidos.

Beijinhos ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Anónimo disse...

Fogo? Não!---disse. Sinais. Sinais é que é. O novelista sabia: havia-o escrito vezes sem conta na margem queimada de um estar. É de ouro!---exclamou de repente. Mas não era. Enganara-se. Iludira-se: era de água e um pouco de luz e vivia simplesmente do desejo.
Como se fosse de mármore---pensou.
E de novo o fogo o tomou de todas as cores pelo grande borrão mineral do escroto e dos testículos e, de súbito, vi-a, e de súbito vi-te e, de súbito, em Madrid, de Madrid, vai mas depressa, o Inverno (ou talvez fosse o inverso) e já o tivesse esquecido e o fogo consumia-lhe obstinado o oiro verde do púbis mas não era fogo, era temor, era a pedra completamente louca onde o corpo poisara de frutos no intervalo do dentro, só o vidro me olhava e deus chamou-o e disse de repente: vai-te foder!

Levantou-se completamente de ouvir os salmos e eu disse, ainda uma vez mas sem abrir os olhos ou respirar: não é fogo: são sinais...