segunda-feira, agosto 13, 2007

Reler

Este espaço faz este mês quatro anos. Aproveitei para reler o que o tempo fez de mim nestes quatros anos e se traduziu em palavras escritas neste blog. Às vezes é bom olhar para trás...
As motivações durante estes quatro anos foram quase sempre as mesmas. A confissão, o diálogo interior, o pedido interno (ou externo?) de socorro, a expressão intíma da dor, da ternura, do amor e das minhas paixões. Este espaço não têm nomes, nem datas, nem idades ou raças. A escrita vale por ela mesma. Somos todos iguais não é? Ou pelo menos por dentro de nós sentimos todos da mesma forma e este espaço, ensinou-me isso mesmo. Por aqui cruzam-se pessoas de todas as idades, raças e géneros e todos eles de alguma forma se identificaram com as minhas palavras. É essa a razão pela qual este espaço ainda dura. É também uma das razões pelas quais escrevo noutros formatos e noutros lugares.

7 comentários:

katraponga disse...

É bom saber que andas aí, as tuas palavras a pairar entre a palidez do luar. Também já começei no longínquo Março de 2003, e nao vou parar de escrever, o que pode mudar é o suporte onde se deposita as palavras. Para já sinto-me bem aqui. Beijo.

Bubbles disse...

Parabéns pelo aniversário :)

(Aproveito para dizer que não respondi ao teu mail porque com as férias mal tenho parado em casa. Prometo que assim que tiver tempo o farei com calma.)

Beijinho muito grande

delusions disse...

É bom quando as nossas (re)leituras nos levam a passeios tão positivos como o teu. Parabéns pelo blog e por estes anos. Posso dizer que sim, que já me revi e identifiquei aqui.

Bjs*

Ricardo disse...

Senhorita. Maria da Lua, foi "voluntariada" para participar de um desafio no blogue Câmara Obscura.

Abraços,
Ricardo

mari crrrrruuuu... disse...

Olá! Desde já dou-te os mais sinceros parabens! De facto escreves muito bem e sou uma sortuda por te ter descoberto. Tens um desafio no meu Castelo! Bjinho enorme***

Anónimo disse...

para quando os textos no suporte impresso. para quando um livro? acho que tds nós o iríamos a correr comprar.

MariadaLua disse...

anónimo:

um livro é um sonho. o meu mais querido sonho. para quando? os sonhos não devem ter prazo.