sábado, fevereiro 09, 2008

Nas asas do vento




"Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo."
Sócrates.

"A terra é a minha pátria, o céu o meu tecto, a liberdade a minha religião. "
Provérbio cigano
.



"A minha avó pressentiu-me antes mesmo da minha mãe me sentir. Ela sempre foi assim, presumo. Cheia de rugas, de preto e de mistérios a nascerem-lhe por entre os dedos. Lê cartas e adivinha o sexo dos bebés que as mães carregam no ventre. Diz o caderninho que traz guardado consigo que nunca falhou. Já foi presa. Por vender ténis “Nuke” e relógios “satch”. Por curar maleitas com vapores de folhas verdes e palavras cozinhadas num lume baixinho de segredo e sabedoria. Nunca se verga. Conhece quase o mundo inteiro. É cigana. É minha avó.

(......)

Sou feito de vento e terra batida. Não me atraem as quatro paredes de uma casa. Gosto da estrada, de adivinhar a primeira estrela no céu nocturno. Gosto da luz quente das fogueiras. Das sombras das mulheres dançando reflectidas no chão.
Aperto-lhe a mão numa despedida breve e sentida. Preciso do resto que me ensinaste antes mesmo de eu saber ouvir, avó. Preciso de pisar caminhos, de vender os ténis “Nukes” por aí. Contornar as grades com que me acenam de cada vez que me vêem e perseguir a chama quente que me arde nas veias. E de me fazer saber que não sou português. Que não tenho país. E no entanto tenho o mundo inteiro por debaixo dos meus pés. Dos meus ténis. Nuke. "


**** Escrito especialmente para a revista NCONTRAST , cujo o tema escolhido foram as etnias. Publicado orignalmente no seu número de lançamento. A revista é um sonho, um projecto, um cruzamento de artes, de vontades e de contrastes.

3 comentários:

delusions disse...

Parece-me um projecto muito interessante!
E adorei esse excerto...



Bjinho*
Boa semana

Bubbles disse...

que saudades de te ler :)

Sophia Paixão disse...

Muito bonita a forma como falaste e exposeste uma etnia alvo de preconceito desfavoravelmente tantas vezes.
Fica uma vontade de ler tudo o resto...

beijinho*