quarta-feira, março 03, 2010

Beijo-te

Por vezes meia-dúzia de palavras têm o condão de mudar destinos. As tuas invariavelmente mudaram para sempre o meu. Se não me tivesses respondido àquela ousadia de menina, se não tivessemos mantido aqueles telefonemas, o vinho, a lasanha, etc. Se tudo isso tivesse sido apenas uma fantasia de garota a descobrir a vida para além da casa, do bairro e da escola e tivesse ficado guardado e selado no cofre da adolescencia inquieta.

Nas palavras que vingaram e alcançaram o presente, continuas a existir. Como sempre. Com talvez ainda mais força, porque és presença na memória, nas paredes que seguram o meu ser e nas palavras, as amigas íntimas que me impedem de esquecer quem sou.

Beijo-te na distância imensa, que nos separa fisicamente. Beijo-te na intimade partilhada, que nunca se esquece. Beijo-te por entre as palavras ensaiadas frente ao espelho.


Beijo-te.

4 comentários:

cão zarolho disse...

Fantástico...

Mariposa disse...

adorei o blooog
:)

beijos

CLARA disse...

Lua você é puro sentimento

Rita disse...

desculpa a falta de palavras para os teus textos pq so me vem uma há memoria: extraordinários