terça-feira, dezembro 14, 2010

O teu nome

Nunca pude gritar o teu nome aos quatro ventos. Nem confessar a ninguém isto que me rasga o corpo e corrói  por dentro. Não posso dizer porque me gotejam os olhos, ou porque as palavras são gritos que me obrigo a calar.

3 comentários:

kleiton disse...

poxa... que lindas palavras, também não posso gritar o nome de alguém, uma por que minha garganta está dilacerada, outra por que me afoguei nas próprias lágrimas... não posso, não devo, não creio... bjos

pling a lot disse...

Nunca pude gritar aos quatro ventos. Nem confessar a ninguém o tal nome

Não posso dizer porque me corrói por dentro e rasga o corpo .

me gotejam nas palavras os olhos,
ou porque gritos são que a calar me obrigo

Maria da Lua disse...

Pling a lot: Obrigada pela tua nova forma de me ler. É sempre interessante e original ler-me de outra forma.