sexta-feira, julho 13, 2007

em algum lugar

Em algum lugar. Num tempo que não foi nosso. não o será nunca mesmo. Nesse lugar recôndito de mim espero por ti. Esperei desde sempre. Antes de ser gente e de saber que um dia te iria conhecer. Imaginei-te tantas vezes. escrevi-te outras tantas vezes. E soube, sempre soube, que aquele nunca seria o nosso tempo. Em algum lugar dentro de mim ainda te espero. Um tempo que tem aliás a vida inteira para acontecer. a tua ou a minha? O que sou eu para ti? O que fui?
Ficam as perguntas. As imagens e todas, todas as palavras mágicas, que me fazem sorrir e querer, querer muito acreditar. Em mim. Em algum lugar.

4 comentários:

Anónimo disse...

E pronto!...
Cá estou eu, incapaz de resistir, manhã cedo do dia (entardecer tardio, porém, de tudo o mais...) a revisitar, mais uma vez, definitivamente cativado, o mais recente desses tão fascinantes quanto labirínticos 'lugares virtuais' tão caracteristicamente 'irregulares' da "Maria"!...
... e, de súbito, acode-me ao espírito, tumultuosamente mas com uma nitidez quase dolorosa, algo que fiz há muito--e que hoje reevoco aqui para oferecer à anfitriã.
Uma 'coisa' que dizia assim:

The peddlar he is
of a golden where

there's got to be
an it's-got-to-be

somewhere

Por momentos, pode acontecer que "somewhere" seja aqui!
Bom sábado!

Ana Paula disse...

Lindo!!!
Lindo seu blog... parabéns!
Adorei todas as suas palavras..

Luciano disse...

Gostei muito do seu blog.
Abraços
Luciano

PAPIROS DE ALEXANDRIA
http://papiros.zip.net

Anónimo disse...

Mais uma daquelas fases de... "agora-é-a-vaz-da-outra- face", Dona "Maria da Lua"?...
Até quando?
Não queremos esperar muuuuuuuuuuuito, ham?...